O Blogue das Bibliotecas Escolares / Centro de Recursos Educativos do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva surge com o objetivo de manter informada toda a comunidade educativa sobre os recursos que se vão adquirindo, as atividades que se realizam e outros assuntos considerados de interesse.
Lançamos, desde já, um desafio aos nossos visitantes no sentido de nos fazerem chegar as críticas e as sugestões que considerem pertinentes para que possamos melhorar este serviço indo ao encontro das expetativas e interesses de todos.


segunda-feira, novembro 08, 2010

Assaltos de Leitura



Na sequência do Mês Internacional das Bibliotecas Escolares, verificaram-se vários “assaltos de leitura” na Escola Secundária Alfredo da Silva. Os “assaltos” foram realizados por dois grupos de “assaltantes profissionais” pertencentes à turma de Expressão Dramática do 9º ano. As “vítimas” foram as turmas dos 5º, 6º, 7º, 8º e 9º anos, a turma D do 10º, bem como a Direcção do Agrupamento. O “cérebro” desta complexa operação foi a professora Matilde Antunes (professora da disciplina e elemento da equipa da BE/CRE) que preparou, devidamente, todos os elementos integrantes desta “quadrilha”, tendo contado com a cumplicidade dos outros elementos da equipa.
As “armas” utilizadas foram o poema “Ser poeta” de Florbela Espanca e o conto “Rifão Quotidiano” de Mário-Henrique Leiria, in Contos do Gin-Tonic.
Os assaltantes foram, no entanto, fotografados pelas “câmaras de vigilância” existentes na escola, o que nos permite mostrar algumas imagens de tudo o que aconteceu esta tarde na escola sede do Agrupamento Alfredo da Silva.





Ser Poeta

Ser poeta é ser mais alto, é ser maior
Do que os homens! Morder como quem beija!
É ser mendigo e dar como quem seja
Rei do Reino de Áquem e de Além Dor!

É ter de mil desejos o esplendor
E não saber sequer que se deseja!
É ter cá dentro um astro que flameja,
É ter garras e asas de condor!

É ter fome, é ter sede de Infinito!
Por elmo, as manhãs de oiro e de cetim...
É condensar o mundo num só grito!

E é amar-te, assim, perdidamente...
É seres alma, e sangue, e vida em mim
E dizê-lo cantando a toda a gente!

                               Florbela Espanca

RIFÃO QUOTIDIANO

Uma nêspera


estava na cama
deitada
muito calada
a ver
o que acontecia

chegou a Velha


e disse
olha uma nêspera
e zás comeu-a

é o que acontece


às nêsperas
que ficam deitadas
caladas
a esperar
o que acontece


                                                                           Mário-Henrique Leiria, Contos do Gin-Tonic




BOAS LEITURAS !

Sem comentários:

Enviar um comentário