O Blogue das Bibliotecas Escolares / Centro de Recursos Educativos do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva surge com o objetivo de manter informada toda a comunidade educativa sobre os recursos que se vão adquirindo, as atividades que se realizam e outros assuntos considerados de interesse.
Lançamos, desde já, um desafio aos nossos visitantes no sentido de nos fazerem chegar as críticas e as sugestões que considerem pertinentes para que possamos melhorar este serviço indo ao encontro das expetativas e interesses de todos.


quinta-feira, julho 21, 2022

Carta de despedida...

 

                                                      Despedida do Secundário


Quando penso nos meus anos de secundário, aqueles que são considerados os melhores anos da nossa vida, aqueles em que as hormonas da adolescência servem de desculpa perfeitamente aceitável para todas as asneiras que fazemos, só associo a pandemia.

Podia mentir, começar isto dizendo maravilhosas mentiras, dizendo que o secundário foi, de facto, a melhor altura até agora, mas tivemos o azar do destino de ser colocados numa situação única, que da forma mais despreparada possível, vivemos sempre com a esperança de que, um dia, “Vai
ficar tudo bem”.

Lembro-me de, nas férias de verão antes do décimo ano, estar com tanto medo da mudança, da escola nova, da pressão para um dia, entrar na faculdade e de escolher que profissão irei ter para o resto da minha vida, que ao mesmo tempo que fazia destes 3 anos um bicho de sete-cabeças, os via como a janela de oportunidade que eu tanto precisava.

Idealizadas tantas imagens perfeitas, calhou-nos uma realidade um pouco imperfeita. As festas foram substituídas por confinamentos, as visitas de estudo por aulas online, as bocas tapadas com máscaras em vez de as taparmos com as mãos, já que riamos tanto durante as aulas que tínhamos de ter cuidado para não sermos chamados à atenção. Trocaram-se abraços por distâncias de segurança, trabalhos de grupo por testes, afinal, “devemos evitar ajuntamentos”, óculos de sol nas mochilas para rápidas idas à praia depois das aulas, tendo nós tanta sorte por termos uma escola perto da praia, por óculos
embaciados devido às máscaras, o que nos fazia olhar para o quadro com muito esforço, já sem conseguir ver nada. Janelas abertas em pleno inverno para nos resguardarmos das partículas de Covid no ar, quando acabávamos de mantas para nos resguardarmos de constipações.

E no fundo, resumindo tudo isto, aquilo que tanto aclamam como sendo a última chance de não sermos considerados adultos foi trocado por jovens cansados. Exaustos desta rotina, em que nos foram tiradas as partes de descontração e tempo livre para sobrecarregar aquelas que alunos ditos
“normais” fugiriam a sete pés. Mas esta rotina, cujas partes más já realcei, trará também saudades.

Ninguém estava com esperança que esta fase durasse para sempre, mas quando entrámos na reta final, tornou-se cada vez mais evidente que um dia terminaria. Por mais cansada que esteja, vejo cada dia como mais uma das poucas oportunidades que temos para criar memórias todos juntos. Tento, a todo o esforço, relembrar-me daqueles seis meses de secundário quando a vida ainda era normal, e dizer algo simpático, fazer alguém rir, aproveitar cada tempo livre para conviver fora da escola, depois que as videochamadas fizeram com que vivêssemos os dias em contacto (quase) direto.

Acho que é quase geral quando digo que os bons dias animados assim que chegamos, as idas ao bar à pressa no intervalo, as subidas das escadas para chegarmos às aulas quase sem ar, a praia à hora de almoço de maio até outubro, as piadas internas que partilhámos enquanto turma e até mesmo a contagem das 100 gotas de água nas primeiras aulas de Química vão deixar saudades. Até porque foi neste ambiente que nos sentimos acolhidos. 

Partilhar, por 3 anos, todas as emoções, boas ou más, desde motivos de alegria a nervos pelos testes, faz com que nos apeguemos àqueles que nos rodeiam. De certa forma, era a única coisa da qual tínhamos a certeza: de que haveria alguém que estava a sentir o mesmo que nós. E isso dava-nos força para continuar. Mas a partir de agora, seremos cada um por si, levando cada uma dessas pessoas no coração, não esquecendo de todas as vezes que elas me fizeram feliz. Mas não são apenas as pessoas que fazem a diferença e, por isso, dirijo-me a ti, querida escola Alfredo da Silva, que serviste de palco para os meus dias de estudante de secundário. Cativaste-me e ainda mal nos conhecíamos, não tinha chegado sequer a ponderar sobre esta decisão e já sabia que era aqui que ia acabar. Tens as tuas particularidades, só quem convive contigo diariamente sabe lidar com elas, mas há tantos aspetos em ti que me agradam. 

O ambiente que se vive de entreajuda, as pessoas que te enchem os corredores todos os dias, tornam-te, sem sombra de dúvida, num local agradável de se estar. Foste o motivo para tantas coisas boas terem acontecido nas vidas de todos nós, já que, como dizem, a escola é muito mais do que apenas as aulas, e eu não podia estar mais de acordo.
Não vou mentir, o secundário marcou-me, afinal marca-nos sempre a todos, seja pelos melhores ou piores motivos. Foram anos de muito crescimento, contactando com realidades que nos fizeram sair da nossa zona de conforto e conhecendo pessoas de quem nos lembraremos para sempre.

Professores que demonstram o quanto gostam do que fazem, inspirando-nos a que, no futuro, encontremos algo de que gostemos tanto de fazer quanto eles, que não nos deixaram desistir à primeira adversidade. Colegas que se tornaram amigos e amigos que certamente daqui a uns anos continuaremos a considerar família.
Surpreendentemente, embora não se tenha tornado na realidade que eu tanto idealizei, vai deixar saudades. Saudade, uma palavra impossível de traduzir, de explicar o significado. Simboliza um sentimento tão único, um sentimento agridoce, que nos faz ficar tristes por alguém que nos deixa tão felizes. 
Saudade é isto tudo, mas é muito mais. E no fundo, também o foi o secundário.

Sofia Rita, 12º B

Professora Regina Rico


Carta de despedida...

 

Carta de despedida

 

 Nem sei bem por onde começar, mas há algo que não me sai da cabeça… já se passaram três anos e o final do secundário está à porta. Ainda me lembro de quando cheguei à escola Alfredo da Silva no 10º ano, uma escola nova com novos professores, novas disciplinas, colegas e até amigos pela frente. Toda uma nova jornada que eu estava ansioso por viver. Estava cheio de expetativas, expetativas que realmente se realizaram porque nesta escola vivi uns bons três anos. Daqui levo imensas recordações que jamais irei esquecer, levo também algumas amizades que, garantidamente, não irão desaparecer e até algo mais importante, como passo a explicar.

         Para além dos excelentes colegas que tive a sorte de conhecer, conheci ainda excelentes professores. Ainda me lembro quando no 9º ano nos diziam que os professores não iam querer saber de nós e que éramos apenas mais um aluno para eles e que alguns professores nem se lembrariam do nosso nome. Bem, gostava de os encontrar outra vez para lhes poder dizer como estavam enganados, porque nesta escola tivemos mais que professores, tivemos verdadeiros amigos que se preocuparam sempre connosco e com o nosso bem-estar, que sempre procuraram ajudar e facilitar a nossa vida escolar o mais possível.

Desde o típico “bola para a frente” da professora Ana Sofia Neves, à permanente calma e boa disposição do professor Carlos Firmino, às longas conversas em inglês sobre vários assuntos, com a professora Ana Luísa Ferreira, até às obras literárias de português, de conteúdo por vezes maçador, mas que a professora Regina Rico conseguia tornar cativantes, entre muitos outros, garanto que falo por todos quando digo que estes professores nos marcaram e que nós não os iremos esquecer. Acredito ainda que iremos certamente tomá-los como modelos na nossa vida futura. A todos estes professores incríveis devo um grande obrigado.

         Bem, como sabemos, tudo tem um final, e o fim do secundário chegou. Apesar de correr o risco de ser repetitivo, repito o meu obrigado pois foi aqui, na Alfredo da Silva, que eu cresci imenso e que aprendi muitas coisas novas e úteis, não só sobre as matérias das disciplinas, mas a nível pessoal e humano.

         É então assim que me despeço da Alfredo da Silva, com um adeus e (mais uma vez) um grande obrigado por tudo o que levo comigo, por todas as memórias e sentimentos que comigo levo para sempre.

         Expresso um último desejo de que muitos mais venham a experimentar e sentir o que aqui também eu senti e vivenciei.

                                                                                     

                                                     Miguel Bastos, 12º B

Professora Regina Rico




segunda-feira, julho 18, 2022

Carta de despedida ...


                                                 Olá. O meu nome é Inês Serrano.

 Provavelmente não sabes, ou não percebeste… Mas eu faço parte das centenas de alunos que te frequentam e, daqui a uns meses, daqueles que te frequentaram e fizeram parte da tua história.


Eu conheço e venho a esta escola há muito mais tempo do que aquele que aqui estou. A minha avó era a chefe das funcionárias (dos assistentes técnicos, como agora lhes chamam…) e, no verão, até ela entrar de férias, eu com os meus 5, 6 aninhos, acompanhava-a para todo o lado… adorava ir com ela para a escola. Para ela, era o seu local de trabalho, mas para mim era uma aventura. Tudo era enorme para mim… Uma perspetiva que hoje em dia é um bocado diferente, pois então… Apesar de não ser muito alta e saber que a escola é grande, oriento-me bem lá dentro.


Naquela altura, a escola tinha três cães: a Prenda, o Ruca e o Alfredo. Eu, como boa criança que era e por amar animais, ia sempre cuidar deles, dar-lhes comida, brincar com eles… ia com outra funcionária… Elas tratavam-me como se fosse neta delas também, e eu adorava essa sensação. Lembro-me de ficar na biblioteca a pintar vários desenhos que elas imprimiam para mim, cheguei até a fazer uns brincos para a minha mãe... cheguei a entrar dentro do refeitório, mas não era tão mágico como as outras coisas. E o ginásio? Pouco lá entrava, mas adorava por me parecer tão grande, por ter o palco e a varanda para assistir às peças, o que eu não via na escola que frequentava na altura.


Por gostar tanto desta escola, por ter amigos aqui e o curso que eu achava que queria, acabei por aqui entrar no 10° ano. Acabei por criar algumas expectativas… De que haveria pessoas mais velhas nas turmas e que seria mais agitado, como quando estamos no 7° e vemos os mais velhos, sabem? Isso não aconteceu bem assim, mas hoje é-me irrelevante e já só quero acabar o 12° ano. Cresci e vêm aí novos desafios. Dos animais que eu tanto adorava, infelizmente, só o Ruca é que hoje em dia lá está… queria muito dar-lhe banho e sair com ele para passear um bocado, pois apesar de estar velhote queria proporcionar-lhe bons momentos, como fiz no passado.


Além disso, temos uma praia ali perto e todo aquele espaço… Quer seja para os lados da praia do Bento, de Braamcamp ou da avenida da praia, toda a área envolvente é muito bonita. Penso que isso também favorece, de certa forma, a “Alfredo”, pois é a única escola no Barreiro com estas características tão especiais. Já nem falando do facto de os professores serem, de uma forma geral, bons, simpáticos e compreensivos, ou pelo menos, os que eu apanhei, foram.


Com tudo isto, desejo a esta escola um futuro estável e que invistam nela, pois ela merece! Por todos estes anos em pé… A escola não é apenas feita de paredes, é, acima de tudo, feita pelas pessoas que nela trabalham, estudam… A “Alfredo” somos nós! Adeus e até um dia, porque certamente passarei por ti muitas e muitas vezes!...         

                                        Obrigada.

                                 Inês Serrano, 12ºB

                            Professora Regina Rico




Carta de despedida ...

 

Tem em mente que tudo o que tu aprendes na escola é trabalho de muitas gerações (...) Recebe essa herança, honra-a, acrescenta -a e, um dia, fielmente, deposita-a nas mãos dos teus filhos.”    Albert Einstein

 

Esta é a despedida de uma viagem que não fiz sozinho, foi nesta escola que embarquei juntamente com os professores e os meus colegas, foram uns longos oito anos onde não faltaram alegrias, mas também obstáculos que foram ultrapassados. Quando aqui entrei era uma criança e hoje saio já adulto, mas diferente pelo crescimento pessoal que aqui adquiri.

Sei que o caminho se tornou mais simples porque tive o privilégio de ter a meu lado bons professores que se tornaram amigos e por isso agradeço a cada um que contribuiu para que assim fosse. É mais um ciclo que se encerra e por isso, mais do que nunca, há que valorizar as amizades que não esquecerei e os conhecimentos que aqui adquiri e que com certeza me vão ser úteis para o meu futuro. Chegou o momento de cada um seguir viagem sozinho... Que as experiências partilhadas no percurso até aqui sejam a alavanca para alcançarmos a alegria de chegarmos ao destino que cada um pretende.

Gostaria ainda de fazer um agradecimento especial à Professora Regina, pelo seu profissionalismo e carinho demonstrado ao longo destes anos, pois a nossa caminhada já vem desde o meu 7º ano, sendo por isso quem viajou durante mais tempo comigo.

                                                                                                                                                  João Vasco 12ºB

                                   Professora Regina Rico



Carta de despedida ...

 

Despedida?

A palavra despedida surge como um sinónimo de adeus.

Não será adeus uma palavra muito forte?

Penso que a palavra adeus tem uma grande ligação com aquilo a que chamamos eternidade, como se este pequeno vocábulo tivesse dentro de si um significado muito maior.

Adeus traz consigo um sentimento de despedida infindável, sendo por isso algo a evitar visto que a ideia de perpetuidade é intimidante.

Pessoalmente, faço parte do grupo cuja intenção é manter este tipo de despedidas o mais longínquo possível. Decidi então tornar um adeus num até já, pois este termo parece-me mais adequado já que não possui qualquer ligação com o infinito, tornando-se assim muito menos aterrorizante. Quero aqui deixar um até já a todos aqueles que tornaram estes últimos três anos os mais importantes da minha vida. Todos os momentos que foram criados ficarão imortalizados na minha memória como se fossem um grande buquê de girassóis.

Quando penso na escola Alfredo da Silva sinto uma enorme gratidão, foi aqui que tive a oportunidade de me tornar no que sou hoje. Ter escolhido estudar nesta escola foi a melhor decisão que tomei, no início não foi nada fácil uma vez que os meus medos e inseguranças prevaleciam, porém, estes foram afastados ao longo do tempo, à medida que ia conhecendo novas caras. Nunca senti que estava no sítio errado, os professores tal como os funcionários que trabalham neste estabelecimento de ensino estiveram sempre lá para me ajudar quando mais precisei.

Aos meus colegas o melhor da vida lhes desejo e deixo-lhes um grande obrigado por terem sido sempre um enorme apoio.

                                                      Até já!

                                       Érica Nunes 12ºB Nº9

                                                      Professora Regina Rico  



 

 

quinta-feira, julho 14, 2022

Carta de despedida ...

 Querida escola Alfredo da Silva,

Foi-nos pedido que te dedicássemos uma carta, cujo objetivo é narrar a nossa experiência enquanto alunos prestes a abandonar-te. Pessoalmente, acho que a melhor forma de descrever o tempo que partilhei contigo é dizer que o senti como uma montanha-russa de emoções.

Assim, posso admitir que nem sempre foi fácil lidar com o stress escolar e/ou social, derivado de toda a pressão com as médias, entrada para a faculdade e ainda com a pandemia que surgiu e que consigo trouxe uma mixórdia de irregularidades, entre as quais as aulas online. No entanto, não foram estas dificuldades que mais me marcaram ao longo dos 3 anos em que te frequentei. Sempre que tento recordar algo relacionado contigo, as memórias que me surgem costumam ser as mais felizes: aulas a fio a rir, praticar volley na praia, o “desânimo” associado à palavra “milha”, experiências nos laboratórios de físico-química e biologia, horas seguidas a olhar para rochas e a estudá-las, os pães com chouriço aquecidos do bar (que foram infelizmente descontinuados), os pósteres na parede a tapar buracos que te dão um ar mais requintado, as tentativas falhadas de diagnosticar todas as doenças mentais de Fernando Pessoa, etc.

Nem tudo foi um mar de rosas, mas esteve longe de poder ser considerado um trajeto com uma conotação negativa. Aliás, irás, sem dúvida alguma, deixar saudades e terás sempre uma importância enorme no que diz respeito ao crescimento e à educação daqueles que serão “o futuro da nossa geração”, como os professores costumam dizer. Um obrigada não chega para agradecer por todos os momentos, mas aconselho-te a arranjar uns lencinhos para os questão por vir, porque a caminhada não é fácil, ainda que no fim valha a pena.

Muitos beijinhos e um até já.

                                                                Marta Correia, 12ºB

                                                             Professora Regina Rico 




terça-feira, julho 12, 2022

Carta de despedida ...


Neste ano de partida

Uma carta vos deixo aqui,

A narrar com alegria

Os momentos que vivi.

A esta escola ao Sul de Lisboa

Bem novo cá cheguei,

Aqui aprendi a ser pessoa

E vários obstáculos ultrapassei.

Neste meu segundo lar

Muita gente cá vivia,

Uns acabaram por se afastar

E outros tornaram-se família.

Muito tempo aqui passei

Oito anos para ser mais certo,

Por vezes me desafiei

Sempre com diversão e afeto.

Para além da educação

Houve muita brincadeira,

Com o Lucas, o Quaresma

E a stôra Regina Pereira.

Vou partindo deste local

Numa data de glória,

Esta escola fenomenal

Com 75 anos de história.

Grato ao nosso fundador

Que decidiu criar primeiro

A escola Alfredo da Silva

O orgulho do Barreiro.

Na hora de saída

Parto com a esperança

De uma vida bem vivida

E um futuro de bonança.


Pedro Mourão, 12ºB

Professora Regina Rico 



sexta-feira, julho 08, 2022

Carta de despedida...

 

Carta de despedida da EBSAS

Eu posso não ser o aluno mais inteligente ou mesmo o melhor em alguma coisa, mas se há uma coisa que fiz bem, foi escolher esta escola para continuar o meu caminho de vida.

Mesmo com todas as minhas dificuldades a Matemática, os meus erros a Português e desafios de Biologia, aprendi que aqui mesmo nesta escola nunca se desiste, nem os professores o deixam, e por isso agradeço cada minuto em que os professores e funcionários da escola estiveram lá para me apoiar. Passei os melhores três anos da minha vida nesta maravilhosa escola, onde fiz os meus amigos, aqueles com quem sempre posso contar, onde aprendi a crescer e a encontrar um sentido para a vida.

 Cada professor tinha uma história nova e diferente para contar, aprendi sobre a matéria necessária para passar, mas também sobre coisas para a vida, cada funcionário desta escola aproximava-se de mim de uma maneira que nem eu pensava ser possível; ao início, não conhecia ninguém, mas agora são estes que me deixam triste por partir deste sítio.

Estou ansioso, mas por outro lado com receio de dar um novo passo na minha vida, o maior e mais importante, que define o meu futuro. Mas foi graças a esta comunidade que isto foi possível e mais uma vez agradeço por tudo o que me deram.

 Não sei se volto a ver os meus amigos ou esta escola e quem aqui está de novo, mas sei que, para onde quer que vá, levo todas as memórias criadas aqui comigo, e vou sempre lembrar-me da Escola Alfredo da Silva, a escola que inspira as mentes jovens a criarem um futuro mais brilhante para todos.

 

Obrigado, velha amiga.

André Rodrigues, 12ºB




Carta de despedida....

 

Adeus, EBSAS

 

      Digo com toda a certeza que a Escola Básica e Secundária Alfredo da Silva faz parte de mim. Apesar de só ter passado três anos da minha vida nesta escola, pareceram muitos mais e não vejo problema nisso, pois com imenso carinho e gratidão, despeço- me desta escola e dos seus inesquecíveis professores. Três anos, passaram muito lentamente assim como rapidamente e não há nada que possa fazer em relação a isso, até porque não posso voltar atrás no tempo, a não ser nas memórias. 
A escola que por vezes odiamos, quando fazemos questão que chegue depressa à sexta-feira, foi nesta que conheci pessoas a quem me sinto à vontade para chamar família, pessoas inesquecíveis como professores, amigos, funcionários e por aí fora, pessoas que influenciaram quem eu sou agora e quem serei. 
 Porém todos os começos têm um fim, e todos os fins são um novo começo, e com isto deparo-me com o fim dos três melhores anos da minha vida e o começo de uma nova fase. Não tem sido fácil encarar esta despedida com felicidade depois de tanto tempo passado nesta escola e com as pessoas de quem nunca me vou esquecer; foram sorrisos, lágrimas, conquistas e diversos momentos que pretendo guardar com todo o carinho na minha memória. 
É com esta mentalidade que vou continuar o meu caminho, e com uma nova etapa pela frente nunca me esquecerei destas memórias que guardo carinhosamente no meu coração.
“É talvez o último dia de minha vida. Saudei o sol levantando a mão direita, mas não o saudei dizendo-lhe adeus. Fiz sinal de gostar de o ver” . (Alberto Caeiro/F. Pessoa)
                                                             
 Rodrigo Potes, 12º B
Professora Regina Rico




quinta-feira, julho 07, 2022

Carta de despedida ...

                                                                                               

        Barreiro, 31 de março de 2022

 

É com um grande sentimento de orgulho que me despeço da Escola Básica e Secundária Alfredo da Silva. Orgulho este que se prende, não só a todo o trabalho que eu e os meus colegas realizámos ao longo destes três anos, mas também a todo o crescimento pessoal que aqui teve lugar. Assim sendo, mais do que uma carta de despedida, esta é uma carta de agradecimento a todos os que fizeram desta uma experiência inesquecível e enriquecedora.

Creio que falo por quase todos, se não por todos os alunos que este ano dizem adeus à escola que no dia 12 de janeiro de 2022 celebrou 75 anos, quando digo que, até passarmos pelo portão verde, esperançoso, que dá entrada para a escola, não tínhamos uma imagem clara daquilo que nos aguardava. Antecipámos esse momento durante semanas, nervosos e incertos, mas sobretudo entusiasmados. Talvez porque, de certa forma, sabíamos no nosso íntimo que estas paredes, velhas, eventualmente nos trariam uma segurança familiar.

Ao longo dos primeiros tempos de aulas, tivemos a oportunidade de nos conhecermos melhor; juntos, enquanto alunos, rimos e chorámos, confrontados com a realidade do ensino secundário. No fundo, começámos a desenvolver fortes laços, que hoje podem dizer-se familiares. 

Aprendemos a trabalhar em grupo e foi precisamente em grupo que fomos crescendo, motivados pelo nosso desejo de aprender e também pelo apoio dos profissionais que fazem da Escola Básica e Secundária Alfredo da Silva aquilo que esta é para os alunos que por ela passam: uma segunda casa.

Vamos ter saudades de sermos recebidos à entrada da escola por uma canção, de partilharmos gargalhadas com os nossos estimados auxiliares e professores e das velhas paredes que, durante anos, nos abraçaram. Obrigada.

 

                                            Maria Inês Diogo Guerreiro, 12.ºB

                                                              Professora Regina Rico 




 

terça-feira, julho 05, 2022

Uma carta ao futuro ...

 3ºA 

Professora Susana Costa



Uma carta ao futuro...

 3ºB 

Professora Vera




Uma carta ao futuro ...

 4ºB

"em setembro vamos para …" 

Professora Sílvia Lucas  


Uma carta ao futuro....

                                                         4ºA 

                                                                    " A caminho …"


Professora Mónica Firme 

segunda-feira, julho 04, 2022

Uma carta ao futuro...

                                                                    Pré-A 

Educadora Ida Braga
Assistente São  

sexta-feira, julho 01, 2022

Uma carta ao futuro....

                                                                                      2ºB 
 

Professora Susana Brotas

quinta-feira, junho 30, 2022

sexta-feira, junho 24, 2022

Uma carta ao futuro...

 

                                                                     Pré-B

Educadora Fernanda Pacheco
Assistente Fátima

quinta-feira, junho 02, 2022

UMA AVENTURA LITERÁRIA 2022

 

Resultados:

2.º Prémio ex-aequo, na categoria de Desenho 1.º e 2.º Anos

MARA LEITE, 2ºano – professora Susana Brotas

Prémios Especiais do Júri

SANTIAGO BRAVO, 4ºano - professora Mónica Maçano

MILENA CORREIA, 4ºano - professora Sílvia Lucas

Menção Honrosa

INÊS FIGUEIREDO,  5ºC – professora Filomena Castanheira

 

A edição deste ano, em que se assinalaram os 40 anos coleção de livros contou com a participação de 12.798 trabalhos oriundos das escolas públicas, das escolas privadas de todo o território nacional. Todas as turmas do Pré-escolar, do 1ºciclo e do 5ºano participaram com a leitura das obras propostas para cada nível de ensino e executaram trabalhos de ilustração a preto e branco. Os trabalhos dos alunos premiados são publicados no livro das autoras Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada e recebem cheques-livro da editora Caminho.

                                                               PARABÉNS!






segunda-feira, maio 30, 2022

Projeto de Educação Literária 2ºano


Disciplinas: Português - Educação Literária

                    Expressões Artísticas 

 Livro  "A montanha de livros mais alta do mundo", de  Rocio Bonilla

                    




 

segunda-feira, maio 09, 2022

Exposição – Maquetes da II Guerra Mundial

 

Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva

Biblioteca Escolar/CRE

                                             

     Exposição – Maquetes da II Guerra Mundial

 

Turma envolvida - 9º B

 

     Disciplina de História em articulação com a biblioteca escolar




quinta-feira, março 17, 2022

 

IMAGINE
IMAGINA

             A turma do 1ºA, professora Ilda, em articulação com a Biblioteca Escolar e no âmbito do Projeto de Educação Literária, trabalhámos o livro “Imagine”, de John Lennon e ouvimos a música.  

                Falámos e refletimos sobra a letra da música Imagine, que pede a PAZ em todo o mundo e concluímos que todos querem sentir-nos felizes e seguros. Para isso, devemos tratar todos de igual forma, qualquer que seja a sua origem ou língua.

        “Imagina juntos podemos fazer a Paz. Então o mundo viverá verdadeiramente como um só”.

                                                                                                                                             1ºA 

                                                                                                                                                     Profª Ilda e Profª Carla Marina






























segunda-feira, março 07, 2022

15.ª Edição do Concurso Nacional de Leitura 2021/2022

 



    Na passada sexta-feira, dia 4 de março, na Biblioteca Municipal do Barreiro, realizou-se a fase municipal, da 15ªediçao do Concurso Nacional de Leitura, que contou com a presença de cerca de 80 alunos provenientes dos Agrupamentos de Escolas e Colégios Particulares do Concelho do Barreiro. Os nossos alunos Teresa C. (4ºano); Leonor A.(4ºano); Nataniel M. (4ºano); Matilde C. (5ºano); Mariana M. (5ºano); Beatriz B (5ºano); Matias V. (8ºano); Rodrigo F. (9ºano); Matilde R. (11ºano); Rita Militão (12ºano), foram representar o nosso Agrupamento, nas categorias do 1ºciclo, 2ºciclo, 3ºciclo e Ensino Secundário e estão de parabéns pelo empenho, esforço e dedicação à Leitura.  

É com um enorme orgulho que anunciamos a qualificação das alunas Mariana Mendes (5ºano) e da aluna Rita Militão (12ºano) para a prova intermunicipal do Concurso Nacional de Leitura, que se realizará no dia 20 de Abril, na Amadora.


                                                                                                    Parabéns!

                                                       São um orgulho para o nosso Agrupamento

sexta-feira, junho 04, 2021

Uma Aventura Literária 2021

     No âmbito da Formação de Leitores, todas as turmas do Pré-escolar e 1ºciclo da Escola José Joaquim Rita Seixas, em articulação com a Biblioteca Escolar, concorreram ao Concurso "Uma Aventura Literária 2021". Este ano participaram no concurso 11621 trabalhos oriundos de todo o país e das escolas internacionais de Língua Portuguesa.  É com enorme orgulho, que anunciamos que foram atribuídos três prémios ao Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva.

 

3.º Lugar – Desenho Pré-Escolar

Daniel R.; Constança G.; Kiari F. ; Enzo F.; Viviane G.; Pedro P.; Orlanda C.

Educadora: Fernanda Pacheco

EB1/JI Professor José Joaquim Rita Seixas – Barreiro

 

3.º Lugar ex-aequo – Desenho 3.º e 4.º Anos

Alunos do 3.º B

Prof.ª Silvia Lucas

EB Prof. José Joaquim Rita Seixas – Barreiro

 

Prémio Especial do Júri

Mateus Lopo

Professor: Ivo Landeck

4ºAno

EB/JI Prof. José Joaquim Rita Seixas – Barreiro




 

quarta-feira, maio 05, 2021

Dia Mundial da Língua Portuguesa

O Dia Mundial da Língua Portuguesa comemora-se a 5 de maio, tendo sido celebrado, pela primeira vez, em 2020, após consagração pela UNESCO em novembro de 2019.


                                                                   Poema Pial

                                                                    1ºA e 1ºB